domingo, 5 de fevereiro de 2017

Coca-Cola é que é!

As primeiras aparições da Coca-Cola, em Portugal, foram envoltas em polémicas. O nome da bebida remetia para outras substâncias e o slogan, criado por Fernando Pessoa ("Primeiro estranha-se, depois entranha-se"), ajudava a formar o mito de fruto proibido. Não nos esqueçamos que Portugal foi, durante muito tempo, "alimentado a vinho" e havia a necessidade de se proteger essa máxima. Demorou algumas décadas até que o refrigerante pudesse circular livremente no mercado nacional, tanto que é visto como uma das conquistas da liberdade em Portugal. Não contando com as, sempre pouco claras, questões políticas históricas, assistimos à desmistificação do produto, afinal, não fazia mal e, na verdade, a marca acabou até por beneficiar de todo o processo, pois toda a gente parecia querer experimentar tão enigmática bebida. Do ponto de vista empresarial, Portugal livre tornou-se mais apetecível comercialmente e o sucesso foi galopante: os portugueses não demoraram muito a contribuir para que a palavra Coca-Cola seja a segunda mais pronunciada no mundo. OK?! A forte aposta, dos promotores do refrigerante, na comunicação origina campanhas publicitárias marcantes, que envolvem o público e perduram no tempo. A legião de coleccionadores de material publicitário é extensa, todos nós conhecemos alguém fascinado por estes produtos, alguns até capazes de cometer loucuras para os obter. Com mais ou menos fervor, estamos ansiosos pela próxima campanha: "Não posso esconder a imensa alegria que eu sei que vou ter. Contigo: Coca-Cola é que é!".


Sem comentários:

Enviar um comentário