terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Ferro de brasas

Não está assim tão distante o tempo em que o ferro de brasas fazia parte dos utensílios de uma casa. Muitos de nós ainda temos lembranças de todo o ritual necessário para executar a tarefa de passar a ferro, uns em casa dos pais, outros, mais novos, em casa dos avós. Havia uns ferros que tinham um compartimento para colocar brasas, pedaços de carvão incandescente para quem tinha mais posses e simples brasas da lareira para quem era mais desenrascado. Muitas peças de roupa se estragaram por causa das faúlhas que saltavam do ferro, ainda por cima só em dias especiais é que eram engomadas, por isso imagine-se o desgosto de ver a camisa de ir à missa, ao domingo, queimada. O modelo que apresentamos era menos propenso aos acidentes e mais leve, ainda assim, exigia os mesmos cuidados ao nível do manuseamento, pois era aquecido sobre as brasas ou então num fogão. Como está representado na imagem, quem utilizava o ferro, por norma, a mulher, teria de colocar um pano humedecido na pega para não se queimar na mão. Ao longo da história foram sendo desenvolvidos tecidos que não necessitavam de ser passados, mas nunca se conseguiu fazer com que o ferro caísse em desuso. Com a electricidade e com o desenvolvimento tecnológico, aquele utensílio tornou-se mais amigável e facilitador da tarefa de engomar, sendo o seu uso, nos dias de hoje, distribuído mais equitativamente entre os sexos. Os ferros antigos são, nos dias que correm, apenas utilizados como peças decorativas e a verdade é que ninguém lhes fica indiferente, havendo sempre um comentário a fazer ou uma recordação a partilhar.



Sem comentários:

Enviar um comentário