quinta-feira, 9 de março de 2017

Barber Shop

Haverá ainda alguma rua da cidade do Porto sem uma barber shop?! Passe o exagero, este tipo de espaços veio para ficar. A preocupação masculina com a imagem está mais massificada; não liguemos a quem diz que os homens de agora preocupam-se mais com a aparência, em relação ao antigamente, talvez essas pessoas não tenham olhado, com atenção, para aquelas fotografias, a preto e branco, que todos já pudemos observar num álbum de família: impecáveis! A sociedade de consumo cria as oportunidades e há jovens empreendedores a aproveitá-las e muito bem. Ir ao barbeiro, arranjar o cabelo ou a barba, pode ser também ir beber um copo, ouvir música e até fazer uma tatuagem, tudo no mesmo espaço. Se antigamente se podia fazer um curativo ou tirar um dente num barbeiro, o que era extraordinário, também nos parece muito apelativa esta versatilidade contemporânea das barber shops. Claro que receamos um escassear, ainda mais acentuado, das tradicionais barbearias, mas o tempo nos dirá qual o rumo que este ramo de negócio levará. Escolhemos a barbearia Orlando como exemplo de um espaço que consideramos muito aprazível, onde não falta até uma pequena exposição de antiguidades, reveladora de uma sensibilidade do proprietário para com o legado do passado, qualidade fundamental em quem quer dominar uma arte tão secular como a de barbeiro ou cabeleireiro, Com um serviço a preceito, deixamos o aviso, caso o queiram experimentar é melhor fazerem marcação, pois a afluência de clientes é enorme. A finalizar, uma curiosidade, o Barber Pole, aquele poste giratório e com cores, que faz parte obrigatória da decoração nestas barbearias modernas, antigamente indicava quem fazia cirurgias e extraia dentes, Pelo sim; pelo não, mais vale frisar o serviço, que pretendem ver efectuado, mal se sentam na cadeira. 


Sem comentários:

Enviar um comentário