quinta-feira, 2 de março de 2017

Garrafas Pirogravadas

A nossa incursão pelo maravilhoso mundo do vintage e do coleccionismo de peças antigas tem-nos colocado perante algumas situações que nos conseguem surpreender. Em relação ao tema deste artigo, assumimos que desconhecíamos a enorme adoração existente pelas antigas garrafas pirogravadas, mas, agora que temos tido contacto com esta realidade, reconhecemos o total fundamento para a existência da autêntica legião de coleccionadores. Em especial no produto refrigerantes, houve uma época em que as marcas recorriam à técnica da pirogravura para embelezar as garrafas, rotular as garrafas, melhor escrevendo. A verdade é que aquela técnica atribui ao trabalho final um efeito muito característico e duradoiro, ao contrário da aplicação contemporânea do rótulo em papel. Nos últimos tempos, temos tido o privilégio de conhecer extensas e muito completas colecções de garrafas e foi nesses aglomerados que nos apercebemos de algo extraordinário. É infindável a quantidade de marcas nacionais que existiam a dedicar-se à produção de refrigerantes, mas o mais interessante é perceber, através das suas garrafas, a indicação, em destaque, das localidades a que pertenciam as empresas produtoras. A relação de identidade entre o local, o produto e muitas vezes o seu próprio nome era plena, havia diversidade de oferta no mercado e um meio, muito original, de se veicular uma espécie de mensagem turística. Contagiados pela febre das garrafas pirogravadas temos estado mais atentos e não resistimos partilhar a indescritível sensação de encontrar, na feira mensal das velharias de Aveiro, duas garrafas dos refrigerantes Invicta, fabricados, à época, pela CUFP. A motivação é total para continuarmos a recolher património da nossa cidade, em especial publicidades antigas ou similares - como acontece com estas garrafas - de modo a concretizarmos as ideias que temos para o médio prazo deste nosso recente projecto.



Sem comentários:

Enviar um comentário