quarta-feira, 3 de maio de 2017

Camisaria de Moda

A cidade do Porto está em suspense para saber onde se vai instalar a colmeia de lojas das grandes marcas mundiais associadas ao luxo e que, por norma, aparecem em cidades turísticas de excelência. O modelo de aparição resulta, os locais onde estas lojas se implementam estão sempre pejados de clientes e de "mirandas", como no Porto se designam aqueles que miram e andam. É uma questão de tempo até termos na invicta uma loja da Louis Vuitton, da Prada ou da Gucci. OK, a Rimowa tentou antecipar cenários e instalou-se no número 145 da Avenida dos Aliados, mas será que vai ser ali a meca das grifes no Porto?! A área envolvente ao Edifício Avis, em tempos, deu sinais de que poderia ser uma real candidata a receber tão ilustres inquilinos, mas a grande maioria das lojas fica fora do raio de visão de quem passa na avenida mais longa do país, a Avenida da Boavista, por isso ficou-se pela Ermenegildo Zegna, marca privilegiada no sentido apontado. A apostar, nós colocaríamos as fichas todas na Rua 31 de Janeiro como destino das lojas referentes às grandes marcas mundiais de luxo. Aquela artéria, do coração da cidade do Porto, tem tudo para dar certo num desafio desta natureza e a grande vantagem começa logo pela sua história, tão ligada que está a uma época de glamour no comércio tradicional. Por ali, em tempos, situaram-se as lojas mais finas da cidade do Porto e muitos dos proprietários eram de nacionalidade estrangeira, franceses e espanhóis que trouxeram à cidade os seus refinados produtos. Há similitude no processo sobre o qual aqui se escreve, estaremos destinados a acertar na aposta?! Aquela rua está também relacionada com momentos importantes na cronologia republicana portuguesa, sendo, independentemente das orientações políticas seguidas, de referência obrigatória em todos os roteiros traçados. Ao seus pés tem, na nossa modesta opinião, um dos espaços mais subvalorizados da baixa portuense: a antiga passagem subterrânea para peões que ligava a "margem Estação de S. Bento" à "margem Hotel Intercontinetal". Alguém compreende a sua supressão?! Nós não! Tendo em conta o cenário catastrófico criado, para peões e viaturas, não nos admiraríamos se alguém reconsiderasse a hipótese de recuperar tão pitoresco local, quem sabe, se já não será com os interesses dos grandes grupos económicos incluídos no processo. Outro dos argumentos a ter em conta é que aquela rua está virada para a Torre dos Clérigos; está virada para o mundo...




A Rua 31 de Janeiro era designada, inicialmente e antes dos acontecimentos históricos que a levaram a ser rebaptizada, por Rua de Santo António. O cinzeiro que apresentamos é alusivo à Camisaria de Moda, com endereço na Rua de Santo António, 66. A peça é antiga, foi fornecida por uma empresa francesa, a figura feminina tem traços de época e nós, por tudo isto, somos levados a crer que a Camisaria de Moda terá sido um estabelecimento pertencente à época áurea da Rua de Santo António, actual 31 de Janeiro. Não temos certezas, por isso, se algum de vocês tiver informações mais precisas, por favor, partilhe-as connosco e ajude-nos a enriquecer este artigo. 

Sem comentários:

Enviar um comentário