quinta-feira, 4 de maio de 2017

Ténis

De 29 de Abril a 7 de Maio disputa-se o Estoril Open, o torneio de ténis mais importante a ocorrer em território nacional e que faz parte do ATP World Tour, estando, por isso, debaixo de olho da imprensa internacional. Os notáveis fazem-se aparecer e a plateia faz as delícias dos fotógrafos, por muito que uma boa parte destes aficionados de ocasião fique surpreendida por os treinadores gritarem para os jogadores, em jeito de lembrete, " - O ténis joga-se com as pernas!". Feira das vaidades, chamam alguns a este tipo de eventos, elitista, apelidam outros o ténis, mas a verdade é que esta modalidade faz corar de vergonha outras quanto ao exemplar fair play demonstrado em campo e nas bancadas. Segundo se consta, nos bastidores do ténis nacional anda tudo às turras e isto por causa da resiliência de João Lagos, um nome, indubitavelmente, ligado ao Estoril Open e que quer recuperar o protagonismo perdido. Conflitos de interesses, como acontece em quase tudo o que tem sucesso neste país, mas a nós apenas nos interessa realçar a possibilidade existente de transformar o torneio num modelo itinerante, criando condições para alternar a cidade organizadora de edição para edição. O desenvolvimento da modalidade em Portugal sairia a ganhar, sem dúvida, por isso pode ser que o estilo omnipresente do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, adepto de ténis e presença assídua no torneio, se difunda e contagie os organizadores. 



Um prato da SPAL, que seria oferta aos participantes do Porto Open, é o objecto central de uma fotografia em que o ténis impera, com laivos de vintage. De S. João da Madeira saíam as sapatilhas de ténis Centro, de Valadares, em Vila Nova de Gaia, as meias de desporto Keit e na Solisport, à Boavista, no Porto, saía tudo o que com a modalidade se relacionava. No norte do país o ténis tem muita representatividade e o Porto Open tem tudo para ser um torneio mais constante e ambicioso, até pela importância assumida no lançamento de jovens jogadores portugueses. João Sousa, o nosso melhor jogador, vem de Guimarães e acaba por ser uma bandeira do sucesso na formação de tenistas a norte. Tudo isto para dizer que também gostaríamos de ter por cá um torneio a contar para o ATP World Tour :)

Sem comentários:

Enviar um comentário