sábado, 13 de maio de 2017

Voz

A participação de Salvador Sobral no Eurovision Song Contest promete acabar de vez com o "triste fado" associado a Portugal, pelo menos, no que às competições europeias se refere. Depois de Éderzito ter materializado em conquista toda a bravura de Cristiano Ronaldo e restante Selecção Portuguesa de Futebol, comandada por Fernando Santos, no UEFA EURO 2016, só nos falta mesmo ganhar o festival da canção. Um feito já foi alcançado, levar a concurso uma canção e uma voz que vão ao encontro do orgulho de uma nação e nos fazem lembrar outras vozes extraordinárias e boas presenças em festivais, como foi o caso de Simone de Oliveira. A realidade do festival em Portugal era outra, naquela altura o país parava para assistir às emissões, tanto na espécie de eliminatória prévia, só com candidatos portugueses, como na etapa mais a doer, já em competição europeia. Havia uma outra simbologia no festival, há quem fale em identidade nacional e talvez seja assertivo fazê-lo, afinal era um dos nossos que estava a concurso e levava a canção em português, adornada por apetrechos tradicionais. Hoje em dia, as vitórias, nestas competições, estão mais relacionadas com outro tipo de fenómenos e a possibilidade do candidato se tornar viral nas redes sociais, por exemplo, pode fazer a diferença. Esta parte já foi conseguida, portanto, se a isto juntarmos as capacidades comprovadas do artista e da sua irmã compositora, Luísa Sobral, temos todas as condições reunidas para que, com a bonita canção "Amar pelos Dois" (vale a pena assistir ao primeiro desempenho no festival, para tal, carreguem na hiperligação), se possa trazer a vitória e a próxima edição do Festival Eurovisão da Canção para o nosso país. 


Copo com figura de Simone de Oliveira





E quando de boas vozes se escreve, em Portugal, claro, convide-se a Sra. Dona Amália Rodrigues a subir ao palco: Amália no Olympia. < Assistir ao vídeo

Sem comentários:

Enviar um comentário